Setor automóvel a crescer: “competitividade é o caminho em 2017”, defende ACAP

Os números de 2016 não dexiam dúvidas: o setor automóvel vive uma fase de comprovado abrandamento da procura, face a anos anteriores. Otimista, a ACAP acaba de revelar previsões positivas, sobretudo quanto a vendas nos próximos dois anos.
Economia | 10 fevereiro 2017

 

Sublinhando que o setor automóvel continua a ser um dos maiores contribuintes para as receitas fiscais em Portugal, responsável por quase um quarto das receitas fiscais do Estado, a ACAP – Associação Automóvel de Portugal voltou a prmover a a sua conferência de imprensa anual, habitualmente palco de balanço e de apresentação de perspetivas para o novo ano.

 

Enquanto gerador de receitas fiscais para o Estado, o setor atingiu 22% do total. A maior fatia do volume de receitas de 2016 teve origem no IVA de veículos, com um total de 3.446 mil milhões de euros. o ISP (Imposto Sobre os Produtos Petrolíferos e Energéticos) representou 3.259 mil milhões de euros, logo seguido do IVA dos combustíveis (1.246 mil milhões de euros) e do ISV (Imposto Sobre Veículos), que representou 672 mil milhões de euros em 2016. As receitas fiscais do setor totalizam 9.271 mil milhões de euros, tornando-o num dos maiores contribuintes para as receitas fiscais do país, responsável por 21,6% dos 43 mil milhões de euros das receitas estatais em 2016.

 

Assim, para este ano, em matéria de vendas a ACAP estima um crescimento de 2% nas vendas de ligeiros de passageiros, prevendo que possa ser atingido o total de 211 mil unidades vendidas. Para a associação, este valor deverá crescer novamente em 2018, chegando às 218 mil unidades, representando um novo crescimento de 2% em relação a 2017. Também as vendas de comerciais ligeiros devem crescer, podendo chegar às 36 mil unidades em 2017, num crescimento de 3%. As previsões para 2018 mantêm-se na mesma escala, ou seja, novo aumento de vendas em 3%, perfazendo 37 mil unidades vendidas.

Ainda de olhos postos neste novo ano, Jorge Rosa, presidente da direcção da ACAP, salientou o papel da atividade associativa em 2017 no reforço da competitividade do setor automóvel de Portugal. Recorde-se que a ACAP esteve na génese da criação da Mobinov – associação do cluster automóvel – que envolve organizações dos setores e fileiras da cadeia de valor da indústria automóvel, nomeadamente da construção e dos componentes. Esta associação constitui-se como uma plataforma de apoio à dinâmica de “clusterização” do setor, reforçando a articulação de atores e iniciativas para a promoção de uma crescente valorização da competitividade e da internacionalização.

 

Fonte : Jornal Económico